Estrangeira a MIM Mesma

Estrangeira a MIM Mesma

By (author) 

Free delivery worldwide

Available. Dispatched from the UK in 3 business days
When will my order arrive?

Description

Nascida em Franca de pais portugueses emigrados nos anos 70, Sophie Pereira e uma jovem em busca de si mesma. Acompanhamos o seu dia-a-dia, o seu novo inicio em que vai ser confrontada com o seu passado e a sua dificuldade em lidar com as suas origens. E com uma pitada de humorismo que vamos assistindo as suas interrogacoes e ao desenvolvimento das suas relacoes. A sua historia entrelaca-se com lembrancas de familiares que emigraram nos anos 70 e explicita o que vivem os luso-descendentes dessa geracao, como tambem trata da dura realidade dos jovens portugueses que, tambem hoje, sao constrangidos a emigrar por causa da crise economica destes ultimos anos. Excerto: " Nao me apresentei. Chamo-me Sophie da Silva Pereira e tenho uma vida, como dizer, em filigrana. Ja um nome estrangeiro e um apelido lusitano anunciam um entrancado de culturas. Ja que comecamos a falar das varias personagens, diria que podemos ir adiante com as varias categorias da narrativa para que fique despachado, pois nunca suportei as analises de texto. Quando. Tenho bem pouco a dizer. Sou filha do mau gosto dos anos 80. Relembro os penteados volumosos, as camisolas grossas e largas, a Mercedes com que faziamos a viagem de Paris a Portugal no calor dos primeiros dias de agosto. Tinhamos uma modelo 240D, cor de laranja dubio com, obviamente, os tampoes das rodas da mesma cor. O seu interior era em couro e podem, por isso, imaginar como era voltar para dentro do carro depois de uma paragem para comer o farnel em pleno deserto castelhano ao inicio da tarde. Fui adolescente nos fluorescentes e eletronicos anos 90. Tive de assistir a proliferacao das americanices televisivas que procriaram Dylans e Kellys por todo o lado e os famosos Kevins, particularmente apreciados pelas familias portuguesas. Adulta, eis-me aqui, neste inicio de terceiro milenio em que o mundo e um mercado e em que a vida de cada um depende das cotacoes da bolsa e das intrigas dos economistas, ja para nao falar das industrias alimentares e farmaceuticas. Onde. Algures pelo mundo. Pelo mundo que e do meu conhecimento direto, isto e, a Europa ocidental. Encontro-me no sul da Franca. Mas fiquem ja a saber que este dado e irrelevante. Estou aqui como poderia estar em Tuvalu ou nas ilhas Malvinas ou Quirimbas. Pouco importa. Nao estou no meu pais, estou longe das minhas origens, da minha cultura. Ja nasci afastada, estou fora e com certeza hei de morrer apartada. E esta a verdade. Considero, neste caso, que para onde a sorte me levou nao tem importancia. Nao o desejei, nao o escolhi. Apenas o sofri e deixei-me levar. Por isso, onde estou? Nao no meu pais. Gostaria de poder dizer que onde me encontro e nenhures. Nao sei porque, gosto deste adverbio, e bem portugues. Mas, infelizmente, estou algures e nesse algures nao tenho raizes. Como, e que nao sei explicar. Como e que chegamos a este ponto? Como e que tudo isto vai acabar? A acao e algo dificil de definir. Nao ha linearidade. Ha apenas uma historia que se encaixa num presente, um passado que se alterna com a minha vida, um futuro que se encadeia com o que sou."show more

Product details

  • Paperback | 180 pages
  • 139.7 x 215.9 x 10.67mm | 299.37g
  • Createspace Independent Publishing Platform
  • United States
  • Portuguese
  • black & white illustrations
  • 1507827938
  • 9781507827932

About Lea Ferreira

Lea Ferreira nasceu em Franca de pais portugueses. Cresceu na regiao parisiense, mas prosseguiu os estudos universitarios em Portugal onde se licenciou em Linguas. Desde muito jovem escreve contos e romances que foi partilhando com amigos e professores. Perante a oportunidade oferecida pelas plataformas de auto-publicacao, decidiu lancar o seu primeiro romance "Estrangeira a mim mesma." Desde 2007 ensina Lingua Portuguesa na Universidade de Padua em Italia."show more